19 de ago de 2010

Plutão - O Senhor das profundezas


Titi Vidal é astróloga, radiestesista e taróloga!
Ao clicar no link desta materia, vc sera redirecionado
ao seu site.

Poderá segui-la no twitter tb.

Sou sua fã incondicional!

Aproveite o texto...magnifico!



Por Titi Vidal

Plutão, ao lado de Marte, é o regente do signo de Escorpião. Fala de intensidade, profundidade e extremismo. É o portador das grandes mudanças que passamos em nossa vida, pelo menos das mais profundas. Nascemos com ele em algum lugar de nosso mapa. Como no caso dos outros astros, ele está em nosso mapa natal em um determinado signo e em uma casa específica. Sua interpretação por signo é mais geracional. Como fica por muitos anos em cada um deles, toda uma geração tem ele no mesmo signo. Isto nos diz como toda uma geração lida com poder e transformações, entre outras coisas. Mas ele estará sempre em uma das doze casas que temos em nosso mapa, que são setores, ou áreas de nossa vida. E onde temos Plutão é de fato muito relevante, indicando uma área de nossa vida em cujos assuntos sempre buscamos profundidade. Podem ser assuntos e situações nas quais lidamos com extremismo e nunca nos contentamos com pouco. Buscamos intensidade e, certamente, passaremos por grandes mudanças ao longo da vida em relação àquela área onde ele se encontra. É também um ponto de poder, onde somos capazes de enfrentar qualquer coisa com força e onde existe uma grande capacidade de regeneração. Assim, quem tem, por exemplo, Plutão forte no mapa – nos ângulos, ou conjunto aos luminares, entre outras possibilidades, tende a ser alguém em tudo muito intenso e profundo, poderoso e com muita capacidade de virar a página e se regenerar. Mas, às vezes, é preciso morrer para determinada coisa para que aquilo possa renascer. E é aí que devemos tomar um cuidado maior, pois Plutão muitas vezes nos faz passar dos limites: como se tivéssemos que descer até o fundo do poço para poder ganhar impulso e de lá sair. Plutão é um astro lento e não vivemos uma volta completa dele no zodíaco, pois demora em torno de 246 anos. Justamente por isso dizemos que por onde transita no mapa ele traz o incontrolável e mudanças realmente profundas e desconhecidas, já que só viveremos ele ali uma vez na vida e, além disso, ele não chegará a transitar por todas as áreas de nosso mapa, apesar de que, de uma forma ou de outra, ele nos afeta completamente. Por onde Plutão passa, uma profunda transformação acontece. Ele nos mostra o que está imerso, aquilo que guardamos embaixo da superfície. Assim, traz à tona tudo que precisamos olhar e pede providências a respeito. Não é mais possível “guardar a sujeira debaixo do tapete” depois de um trânsito de Plutão. Ele nos obriga a jogar no lixo e enterrar definitivamente aquilo que não nos serve mais e, como recompensa, nos mostra aquela nossa riqueza que estava mais escondida no subsolo. Para que possamos entrar em contato com tudo de benéfico que ele tem a nos oferecer é preciso que fiquemos totalmente despidos de todos os adornos ou apegos que temos.
E, sem dúvida, antes de tudo, limpar os excessos, nos desfazendo daquilo que já não faz mais sentido e que não é mais compatível com nosso mais verdadeiro eu. Isto porque ele nos obriga a sermos humildes, ele mostra que não temos tanto controle de nossas vidas como pensamos.
Por onde passa, mostra que temos que lidar de outra maneira com aqueles assuntos, o que,geralmente, nos assusta. Mas o que não pensamos é que esta “nova forma” nada mais é do que nossa verdadeira forma. Ele mostra o que temos em essência e que temos que agir naquela área de acordo com isso. Ele nos tira as roupas e máscaras com as quais nos fantasiamos tentando fugir de quem somos. E é isso o que mais nos assusta, pois nos sentimos vulneráveis perante os outros e o mundo e temos que aprender a nos virar assim mesmo, porque Plutão não oferece outra possibilidade a não ser uma grande faxina e uma grande mudança. Por isso é dolorido. Pode nos tirar coisas e pessoas também. Mas sempre tendo a acreditar que só leva aquilo que não possui fortes raízes. E se não tinha raízes, era porque não cuidamos bem daquilo e não era mesmo para ficar. Pois se tivermos algo ali com raízes profundas e estruturadas, sem dúvida ele no mostrará os mais belos frutos desta árvore e então estaremos prontos para colher. Claro que não virá fácil, mas sempre acho que Plutão nos oferece a oportunidade de sermos nós mesmos e, passada a crise, podemos então desfrutar de todas as riquezas que descobrimos dentro de nós e de tudo aquilo que temos. Agora está para entrar definitivamente em capricórnio. Irá mexer muito com nossas estruturas. É um signo que gosta de controle e poder e Plutão irá mostrar que nem sempre é possível ser assim. Irá mexer diretamente com os capricornianos, fazendo com que olhem para sua essência e façam grandes mudanças no sentido de viver de acordo com sua personalidade. Irão se questionar e, após crises existenciais, se assumirão com toda beleza de sua alma. E isto vale para onde temos capricórnio no mapa. A casa onde temos capricórnio indica uma área de nossa vida sobre a qual temos que ter controle, regras e estrutura em relação aqueles assuntos. Com Plutão transitando por lá, veremos que não temos tanto controle sobre aquilo e que muitas vezes é preciso quebrar as regras e que nem sempre podemos nos manter firmes, mantendo as aparências e tendo tanta estrutura. Temos que nos preparar para isso tentando ser mais leves, vivendo com menos máscaras e preferindo o que tem mais raízes. É preciso desapegar e ser humilde. E acreditar que depois que passa, Plutão deixa suas riquezas, que são as mais belas, aquelas que estão nas profundezas, mas que temos que ir até lá se queremos buscar. E então nos deixará com esta abundância, que será proporcional ao mergulho que fizermos em nossa alma e no mais profundo de nosso ser. E como alguém que já viveu um trânsito intenso de Plutão, digo que vale a pena fazer a viagem, sem medo do que vamos encontrar.

Este artigo foi publicado no Jornal O Legado de novembro de 2008

Um comentário:

Titi disse...

Que honra ter meu texto publicado aqui no seu blog :-)
beijos, Titi.